Espaço público, Cultura, Política, Comunidade, Território, Pessoas

Da Ilha e da Estrela III

Contou-nos um griot um dia,
griot que fora criado e passou a contador,
que na sua terra a gente orientava a vida polo sol, a lua e as estrelas.
“Polo vento também”, dizia o griot; e polos cantos dos grilos e luzes noturnas nos caminhos:
“Vagalumes seriam!”, dixo o suspiro dum meu amigo.
Respondeu o griot: “lembrei agora a história da cobra e o pirilampo brilhante;
Yi NYOKA NI DYI BIMBI-NDYILO SHA KU PHATIMA!
Uma cobra que não suportava o brilho dum luzecu…!”
“Como a gente é…!”, voltou o meu amigo.
“Inveja…!
“É que está esquecida de histórias; sabe tudo mas nada apreende; não é, griot?”
“E será”, partilhou o griot; “mas lá pr’a nós não é inveja mas ignorância”.
“E como assim, griot?”
“Pensou ela que chegava com orientar a sua vida polo sol, a lua e as estrelas; e polo vento, e polos grilos; e esqueceu os pirilampos”:
“Griot, e não chega com tantos e tão bons!?”
“chega, chega, quase sempre chega; tanto que esqueces encontrar o caminho”.
“Entendim!”

Sobre o autor

Elias J. Torres Feijó

Tenta trabalhar coletivamente e acha que o associacionismo é a base fundamental do bom funcionamento social e comunitário. A educação nos Tempos Livres é um desses espaços que considera vitais. Profissionalmente, é professor de Literatura, em origem, e, mais, na atualidade, de Cultura.

Comenta aqui!

Comenta aqui!

Espaço público, Cultura, Política, Comunidade, Território, Pessoas

Xosé Manuel Sarille

Polemista e tamén escritor. Autor do ensaio "A impostura e a desorientación na normalización lingüística". A quen lle interese lelo pode solicitalo neste blog e enviaráselle ao enderezo correspondente sen custo ningún do exemplar nin do transporte.

Xoán Carlos Carreira Pérez

Doutor engenheiro agrónomo, professor de Engenharia Agroflorestal na Universidade de Santiago de Compostela. Autor de vários livros e artigos científicos, tem colaborado em diversos meios de comunicação, como A Nosa Terra, El Progreso, Vieiros e Praza Pública.

Elias J. Torres Feijó

Tenta trabalhar coletivamente e acha que o associacionismo é a base fundamental do bom funcionamento social e comunitário. A educação nos Tempos Livres é um desses espaços que considera vitais. Profissionalmente, é professor de Literatura, em origem, e, mais, na atualidade, de Cultura.

Viva Cerzeda

Espaço público, Cultura, Política, Comunidade, Território, Pessoas… Viva Cerzeda é a comemoração, para nós, da amizade, do bom humor sempre que possível e de tentar contribuir com algumhas ideias e opiniões para entender(mos) e atuar(mos) do melhor modo o mundo… É ambicioso mas é-che o que há… e para mais não damos…

Contacta-nos aqui

Acompanha